/O Sermão Textual

O Sermão Textual

O que é um sermão textual?

O sermão textual é essencialmente o mesmo que o expositivo, com a diferença de que emprega uma passagem mais curta das Escrituras, em geral apenas um versículo ou uma ou duas frases.

Charles Koller afirma: ”Como geralmente se pensa, ele envolve o escrutínio mais intenso de uma passagem menos extensa“; ”Quando o texto principal é escolhido, torna-se desejável, na medida do possível introduzir na estrutura do sermão todos os pontos principais do parágrafo circunjacente”.

John A. Broadus, um dos mais famosos pregadores do século XIX, diz que no sermão textual as divisões são extraídas do texto. Este provê o assunto e as principais divisões do sermão. Um único assunto é retirado do texto e depois discutido sob as divisões que ele fornece.

Broadus dá um exemplo de sermão textual sobre o salmo 145.16: ”Abres a mão e satisfazes de benevolência a todo vivente”.

As divisões são:

  1. Deus providencia pessoalmente
  2. Deus providencia facilmente
  3. Deus providencia abundantemente

Jerry Vines define o sermão textual como o sermão fundamentado em um ou dois versículos da Blblia. Segundo ele, ”O tema e as divisões principais do sermão são extraídos do próprio texto”. Charles Haddon Spurgeon usou apenas um versículo ou parte de um versículo bÍblico em quase 70% das suas mensagens.

Alguns exemplos de sermões textuais:

Tema: As características do novo cântico

Salmos 40.3: “E me pôs nos lábios um novo cântico, um hino de louvor ao nosso Deus; muitos verão essas cousas, temerão e confiarão no Senhor”.

  1. Sua origem – “me pôs nos lábios”
  2. Sua natureza – ”Um novo cântico”
  3. Seu propósito – ”Um hino de louvor ao nosso Deus”
  4. Seu resultado – ”Muitos verão, temerão e confiarão no Senhor”

Tema: O Valor supremo da Palavra de Deus

Salmos 119.11: ”Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti”.

  1. Guardar a melhor coisa – ”Guardo no coração as tuas palavras”
  2. Guardar no melhor lugar – “No coração”
  3. Guardar com o melhor propósito – “Para não pecar contra ti”

George Brooks oferece um esboço:

Romanos 5.1: “Justificados, poís, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo”.

  1. A natureza da justíficação – declarar justo
  2. A base da justificação – Jesus Cristo
  3. O instrumento da justificação – a fé
  4. A conseqüência da justificação – a paz

Tema: A grande salvação

João 3.16: ”Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”.

  1. Grande por sua origem – Deus amou
  2. Grande por sua amplitude – O mundo
  3. Grande por sua intensidade – Deus amou de tal maneira
  4. Grande por seu preço – Ele deu o seu Filho Unigênito
  5. Grande por sua oportunidade – Todo o que
  6. Grande por sua facilidade – Nele crê
  7. Grande pelo seu alívio – Não pereça
  8. Grande pela sua bênção – Mas tenha a vida eterna

Trecho extraído do livro Pregação Expositiva, de Hernandes Dias Lopes.


Conheça a obra:

Pregação Expositiva


 

Este artigo foi útil?

Pregador e instrutor bíblico, historiador e editor do site http://pregandoapalavra.com.br