/12 Conselhos aos pregadores – Parte 1
Pregação

12 Conselhos aos pregadores – Parte 1

A pregação é uma atividade que exige a máxima entrega daqueles que se propõe a pregar, por isso selecionamos alguns conselhos dados por aquele considerado até os dias de hoje o principe dos pregadores: Charles Haddon Spurgeon.

Neste primeiro artigo, numeramos 6 conselhos que todo pregador deveria seguir, confira na sequencia:

1. A ORAÇÃO É PREPARAÇÃO DO SERMÃO.

Nada o prepara para pregar mais que a oração.

“A oração o ajudará singularmente na entrega de seu sermão; De fato, isso irá poderosamente ajudar a você para pregar. Ninguém é tão capaz de pleitear com os homens como aqueles que foram lutar com Deus em seu nome. ”

2. INTRODUÇÃO

O início de seu sermão deve captar imediatamente nossa atenção.

“Eu prefiro fazer a introdução do meu sermão muito parecido com o do criador da cidade, que toca a campainha e grita: ‘Oh, sim! Ah sim! Isto é para dar aviso, “apenas para deixar as pessoas saberem que ele tem notícias para eles, e quer que eles escutem. Para fazer isso, a introdução deve ter algo impressionante nela.

3. SERMÕES LONGOS SÃO RESULTADOS DE UM ESTUDO NÃO SUFICIENTE.

É preciso um nível mais elevado de preparação e disciplina para dizer menos.

“Brevdade é uma virtude ao alcance de todos nós; Não podemos perder a oportunidade de ganhar o crédito que ela traz. Se você me perguntar como você pode encurtar seus sermões, devo dizer, estude-os melhor. Gaste mais tempo no estudo que você pode precisar menos no púlpito. Estamos geralmente mais longo quando temos menos a dizer. ”

4. VARIE SUA VOZ

Ninguém quer ouvir um pregador monótono.

“Que pena que um homem que de seu coração ,entregasse doutrinas de indiscutível valor, na linguagem mais apropriada, devesse cometer suicídio ministerial tocando apenas uma corda, quando o Senhor lhe tivesse dado um instrumento de muitas cordas para brincar! Infelizmente! Para aquela voz melancólica, cantarolava e zunia como uma roda de moinho para o mesmo giro musical, se seu proprietário falou do céu ou inferno, vida eterna ou ira eterna. Poderia ser, por acidente, um pouco mais alto ou mais suave, de acordo com o comprimento da frase, mas seu tom era ainda o mesmo, um desperdício de som sombrio, um discurso em que não havia nenhum relevo possível, nenhuma variedade , sem música, nada, a mesmice horrível.

5. PRATICAR O QUE PREGA

Sua vida fora do púlpito ofusca sua mensagem nele.

“Todos nós ouvimos a história do homem que pregava tão bem e vivia tão mal, que quando ele estava no púlpito todo mundo dizia que nunca deveria voltar a sair, e quando ele estava fora, todos falavam que nunca deveria pregar novamente … Não confiamos nas pessoas que têm dois rostos, nem os homens acreditam naqueles cujos testemunhos verbais e práticos são contraditórios. Ações, de acordo com o provérbio, falam mais alto que palavras, então uma vida doente vai efetivamente afogar a voz do ministério mais eloqüente. ”

6. ENUNCIADO

A comunicação clara começa com enunciação clara.

“Tome muito cuidado com as consoantes, enuncie cada uma delas claramente; São as características e expressão das palavras. Praticar infatigavelmente até que você dê a cada uma das consoantes seu devido valor; As vogais têm uma voz própria, e, portanto, eles podem falar por si mesmas. Em todos os outros assuntos exerça uma disciplina rígida até que tenha dominado a sua voz, e tê-la na mão como um cavalo bem treinado. “

Confira a segunda parte deste artigo no link abaixo:

http://pregandoapalavra.com.br/conselhos-12-conselhos-aos-pregadores-parte-2/

Este artigo foi útil?

Deixe seu comentário

Pregador e instrutor bíblico, historiador e editor do site http://pregandoapalavra.com.br